Notícias

Programa Prato Fácil inicia atendimento com refeições a R$ 2 para famílias vulneráveis socialmente

Em todos os estabelecimentos o governador fez questão de destacar sua preocupação com a Saúde Pública, investindo em medidas para conter a covid-19, e também com o setor econômico, tentando conciliar ações que evitassem impacto maior.

Por Secom/RO

terça-feira, 18/05/2021 - 12:18
Programa Prato Fácil inicia atendimento com refeições a R$ 2 para famílias vulneráveis socialmente

“Um programa exemplar e acima de tudo inteligente, porque além de beneficiar a população de baixa renda com uma alimentação saudável e a baixo custo, contribui também com os empreendedores no ramo da alimentação, neste período de pandemia”, foi o que disse Gustavo Semprebom, proprietário do Restaurante e Churrascaria Norte Sul, em Porto Velho, ao receber o governador Marcos Rocha, acompanhado da primeira-dama e secretária de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social, Luana Rocha, nesta segunda-feira (17), quando foi dado início ao atendimento do Programa Prato Fácil.

Localizado entre as zonas Norte e Sul, na avenida Rio Madeira com a BR-364, o Norte Sul é um dos cinco estabelecimentos credenciados na capital, junto à Seas, para oferecer refeições nutritivas ao preço de R$ 2. A proposta é atender cerca de 1.500 pessoas diariamente, totalizando uma média de 33 mil ao mês, entre consumo no local e retirada.

Conforme havia anunciado durante coletiva de imprensa, no último dia 11, o governador e a secretária Luana acompanharam o início do atendimento em pelo menos três restaurantes, começando pelo Portal Eventos, na BR-364, sentido Cuiabá; Restaurante e Churrascaria do Gaúcho, na avenida José Vieira Caúla, 6116, bairro Cuniã, também na zona Leste; e Norte Sul. Os outros dois credenciados são o SempreBom Restaurante e Café, na avenida Campos Sales, 2645; e o Restaurante Vista do Madeira, na Travessa Belizário Pena, 191, bairro Triângulo, ambos na zona Central.

A primeira a se alimentar no Portal Eventos foi Madeleine Cecília, 6 anos, acompanhada da mãe Helen Josy, que levou outras sete marmitas para sua casa no Residencial Morar Melhor. Outra que levou para casa foi Jaksoni dos Santos, moradora do bairro Três Marias, que afirmou considerar o “Prato Fácil” uma excelente alternativa para as famílias que não têm condições de frequentar restaurantes, devido ao alto custo. No cardápio do dia do Portal de Eventos, estavam feijão, arroz, macarrão ao alho e óleo, assado de panela, salada crua e cozida e suco de maracujá.

“Ficou melhor ainda este Programa, porque agora não contamos apenas com uma unidade, como era o Prato Cheio {Restaurante Popular}, mas com cinco locais, dando opção para um maior número de pessoas se alimentar bem, pagando pouco”.

Na Churrascaria do Gaúcho, que bateu recorde de procura no primeiro dia, o governador e a primeira-dama aproveitaram para almoçar. De lá, seguiram para o Norte Sul. Em todos os estabelecimentos ambos fizeram questão de conversar com os proprietários, que demonstravam entusiasmo com o “Prato Fácil”, um dos programas criados pelo governo estadual, por meio da Seas, voltados ao fortalecimento das políticas públicas de assistência social para as famílias em situação de vulnerabilidade.

“Nosso objetivo é expandir este programa para mais restaurantes da Capital e também para o interior”, disse Marcos Rocha, adiantando para o casal Paulo Rogério e Ana Paula, proprietários do Portal Eventos, que o Programa não é apenas uma medida para mitigar os efeitos da pandemia, mas será contínuo, por isso a importância da parceria dos empreendedores para o credenciamento de seus estabelecimentos.

“Sem dúvidas este programa é 100%. Uma ideia inteligente e bem pensada pelo Governo e sua equipe, que vai ajudar não apenas às famílias menos favorecidas, mas também servir como estímulo para os empresários do ramo de alimentação que estão retomando suas atividades gradativamente, adotando todas as medidas de prevenção à covid-19”, avaliou Clóvis Jair, proprietário da popular Churrascaria do Gaúcho.

Os restaurantes credenciados foram avaliados com base no Edital de Chamamento Público Nº. 156/2020/CEL/SUPEL/RO, publicado em dezembro de 2020. Conforme lembrou a secretária Luana, para ter direito às refeições é necessário que a pessoa esteja inserida no Cadastro Único (CadÚnico) do Governo Federal, ou seja, que tenha renda per capita acima de meio salário mínimo ou até três salários mínimos por família, constantes na base do Sistema Prato Fácil. Outro dado importante é que, ao se dirigir ao restaurante o beneficiário deverá levar documento pessoal (CPF) de todos os membros do núcleo familiar e o valor correspondente à quantidade de pessoas. O valor para os consumidores é igual para quem consome no local ou leva para casa, a diferença é paga pelo Governo, com recursos do Fundo Estadual de Erradicação à Pobreza (Fecoep), vinculado à Seas. No caso de consumo no local, são repassados pelo governo como complemento aos estabelecimentos, R$ 13,13; e para levar para casa, R$ 11,21. “Mas o consumidor só pagará R$ 2 por cada refeição”, observou Luana Rocha, ressaltando que também só será fornecida uma alimentação diária por CPF.

“Para mim este programa foi uma bênção. Eu não sabia de sua existência. Acabei de saber porque fui pedir ajuda a uma pessoa para eu e minhas netas almoçarmos, e ela mandou eu vir comer aqui {Restaurante Norte Sul}, que estava custando R$ 2”, contou a dona de casa Maria Piedade, 65, moradora do Morar Melhor, enquanto comia com as três netas.

Desempregado, o casal Felipe Wesley e Ananda Caroline, que reside no bairro Nova Esperança, se dirigiu primeiro à Churrascaria do Gaúcho, mas foram informados que a cota do dia para levar (83 marmitas) já havia esgotado e por isso seguiram para o Restaurante e Churrascaria Norte Sul. A cota para consumo no local são 167 pratos, totalizando 250 para todos os estabelecimentos, diariamente.

“Para nós este programa é muito bom, pois estamos desempregados. Além disso, como há cinco locais credenciados a gente pode ir para o mais próximo ou se dirigir aonde ainda tiver refeição disponível”, argumentou Wesley.

Em todos os estabelecimentos o governador fez questão de destacar sua preocupação com a Saúde Pública, investindo em medidas para conter a covid-19, e também com o setor econômico, tentando conciliar ações que evitassem impacto maior.

Os restaurantes credenciados estão fornecendo refeições das 11h às 15h, contabilizando em média 22 dias úteis no mês. Fica facultado ao restaurante funcionar em feriados. Na entrada de todos os estabelecimentos os beneficiários passam por higienização das mãos com álcool em gel 70%, como ocorre com os demais clientes. No ato da retirada das refeições, os beneficiários apresentam documento de identificação, o restaurante consulta se consta na base de dados do sistema e após a liberação do ticket colhe a assinatura do usuário e seu Número de Identificação Social (NIS) em relatório.

No site da Seas, os beneficiários também podem acompanhar diariamente os locais onde ainda há refeição disponível. Denúncias também poderão ser feitas, caso algum restaurante se negue a servir, mesmo que não tenha atingido a cota diária e ainda tenha comida.

Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email