quarta-feira, 24 de julho de 2024
Search
Close this search box.

Estratégias são tomadas pela Caerd para garantir abastecimento de água à população de Rondônia durante verão amazônico

Com a baixa do rio Madeira, equipe operacional da Caerd trabalha para liberar flutuante encalhado

Com a finalidade de mitigar os efeitos com a redução no volume de água disponível nos rios e mananciais de Rondônia, agravada pelas mudanças climáticas e pelo fenômeno El Niño, a Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd), órgão que integra o Comitê de Crise Hídrica instituído pelo Poder Executivo estadual em novembro de 2023 através do Decreto N° 28.613,  que implementou um Plano de Urgência e Contingência com ações a serem desenvolvidas nos municípios e distritos atendidos pelos serviços da estatal, neste verão amazônico. O plano é uma resposta imediata para que famílias de localidades rondonienses não sejam atingidas com a escassez hídrica durante o período mais crítico.

Publicidade

Segundo o coordenador técnico de meio ambiente e sustentabilidade da Caerd, Jefferson Suárez Lopes, este plano é importante para assegurar o fornecimento de água tratada em tempos de crise. “A colaboração de todos os setores da sociedade é fundamental para a implementação eficaz das ações previstas, que incluem monitoramento contínuo e estratégias para proteger a população, especialmente nos municípios em situação de risco extremo e grave,” afirmou.

MEDIDAS ESSENCIAIS

Para as medidas em curto prazo, estão previstas ações como a limpeza e desassoreamento de rios para garantir a qualidade e quantidade de água nos pontos de captação, melhorias emergenciais nas Estações de Tratamento de Água (ETAs), a fim de otimizar os processos de tratamento e distribuição, identificação e reparo rápido de vazamentos, visando a redução de perdas, além da aquisição e distribuição de reservatórios de água para famílias em situação de vulnerabilidade.

De acordo com o presidente da Caerd, Cleverson Brancalhão, a partir da primeira quinzena de julho, serão instaladas réguas para avaliação precisa da disponibilidade hídrica nos pontos de captação. “O monitoramento constante das redes de abastecimento e dos padrões de consumo será importante para ajustar o plano, conforme necessário e com isso, garantir o acesso à água potável para todos”, ressaltou.

Publicidade

Em julho, a Caerd iniciará monitoramento em rios e mananciais para avaliação precisa da disponibilidade hídrica nos pontos de captação

O presidente da Caerd evidencia, ainda, os procedimentos que serão desenvolvidos pela estatal em médio prazo, em que prevê a implementação de captação alternativa de água para complementar a vazão nos sistemas de abastecimento, a perfuração de poços tubulares profundos, como medida de ampliação da capacidade de captação de água.

OBRAS ESTRUTURANTES

Para ações a longo prazo, a Caerd planeja captar recursos para a construção de novas adutoras em mananciais perenes, que fornecem água de forma constante ao longo do ano. “Além das ações estruturais, é importante que a população reflita sobre os hábitos de consumo de água, promovendo uma conscientização coletiva. Em casos extremos, como a seca dos rios, atuaremos na captação alternativa e na construção de adutoras emergenciais”, explicou o diretor técnico e operacional da Caerd, Lauro Fernandes.

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais de

Não temos mais notícias para mostrar.