Política

Após ser cassado e ter votos anulados pelo TRE, Aélcio da TV apresenta projeto acabando com a profissão de Bombeiro Civil em Rondônia

A Lei nº 4.409 de 5 de novembro de 2018, foi criada pelo ex-deputado Jesuíno Boabaid, e desde então tem gerado empregos nos mais diversos setores no estado.

Por JH Notícias

quarta-feira, 21/07/2021 - 12:02 • Atualizado 12:04
Após ser cassado e ter votos anulados pelo TRE, Aélcio da TV apresenta projeto acabando com a profissão de Bombeiro Civil em Rondônia

Chateado por ter tido o mandato de deputado estadual cassado e prestes a sair definitivamente da vida pública, Aélcio da TV, mostrando quem realmente é, apresentou Projeto de Lei nº 1243/2012, acabando com a profissão de Bombeiro Civil, deixando inúmeros pais de família desempregados em Rondônia.

A Lei nº 4.409 de 5 de novembro de 2018, foi criada pelo ex-deputado Jesuíno Boabaid, e desde então tem gerado empregos nos mais diversos setores no estado. Aélcio teve o mandato cassado pela justiça eleitoral, por uso indevido dos meios de comunicação e desde então, seu suplente, Ribamar Araújo, tem travado na justiça o direito de tomar posse em seu lugar. Em defesa de Ribamar Araújo está a advogada e ex-vereadora de Porto Velho, Ada Dantas Boabaid, que é esposa de Jesuíno Boabaid.

Enfurecido com a situação e para se vingar de alguma forma do casal Boabaid, Aélcio apresentou projeto acabando com a profissão de Bombeiro Civil em Rondônia, por ser uma lei criada por Jesuíno, porém, quem acabou sendo atingido com essa atitude irresponsável, foram centenas de pais de famílias que terão de sair de seus empregos, uma vez que a profissão foi extinta.

Várias empresas utilizam da mão de obra de Bombeiro Civil como parte de seus funcionários, a exemplo do Porto Velho Shopping, Defesa Civil da Prefeitura de Porto Velho, casa de show com grandes públicos, Governo de Rondônia entre outros. Com a extinção da Lei, que foi sancionada pelo Governador Marcos Rocha, no dia 15 de julho de 2021, todos terão que deixar seus empregos, uma vez que a profissão deixa de existir em Rondônia.

Dos 24 deputados estaduais de Rondônia, apenas os deputados Anderson Pereira (PROS) e Adelino Follador (DEM), votaram contra o projeto de Aélcio da TV e a favor dos trabalhadores. O deputado Alan Queiroz (PSDB) se absteve.

Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email