Polícia

Pacientes de clínica de reabilitação denunciam agressões; responsáveis negam

Um dos internos havia sido colocado em sala conhecida como “castigo”, que é fechada, sem energia elétrica ou móveis.

Por Lente Nervosa

terça-feira, 06/07/2021 - 11:30
Pacientes de clínica de reabilitação denunciam agressões; responsáveis negam

Policiais militares foram acionados na noite desta segunda-feira (5), para irem até uma clínica de reabilitação para dependentes químicos no Bairro Nova Esperança, zona norte da capital. A denúncia de um vizinho é de que internos estavam sofrendo violência física.

No local os policiais conversaram com uma testemunha, que estava acompanhada de Alexandre, 24 anos, interno da clínica. Alexandre apresentava vários arranhões pelo corpo e hematomas por toda a costa. Os ferimentos teriam sido causados por funcionários da clínica. Os militares então foram até o local e conversaram com Caio, que trabalha como monitor.

Na clínica os policiais foram informados que Alexandre estaria no “castigo”. Os militares seguiram com Caio até uma sala ampla, sem móveis ou energia elétrica, conhecida como onde ocorria o castigo, todavia, ao abrir a porta do local foi constatado que Alexandre não estava no ambiente. Ele fugiu pelo telhado, pulando muros e caindo na casa do vizinho, que acionou a polícia.

Outro interno, chamado Cristoph, de 19 anos, foi até os policiais e comentou que também havia sido agredido por Caio e outro funcionário, identificado como Maicon. As agressões foram feitas com ripas, que os policiais encontraram posteriormente no quarto dos monitores. No local também estava uma corrente que, segundo os internos, era usada pelos monitores durante as agressões.

Segundo uma mulher que se identificou como responsável pela clínica, o interno Alexandre fugiu do castigo e invadiu a enfermaria, ingerindo um litro de álcool, pulando o muro e caindo na residência do vizinho, o que acabou gerando os ferimentos em seu corpo. Ela negou que haja qualquer tipo de violência contra os internos.

O caso foi apresentado ao delegado, que ficou responsável de tomar as medidas que o caso requer.

Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email