Rondônia

Vacinação contra Covid-19 em Guajará-Mirim continua suspensa; entenda

Queda de energia, prédio insalubre, vacinas passando por análise técnica e mais. A última vacinação em Guajará aconteceu no dia 21 de maio para pessoas de 50 a 54 anos com comorbidades.

Por G1

quinta-feira, 27/05/2021 - 16:06
Vacinação contra Covid-19 em Guajará-Mirim continua suspensa; entenda

A população de Guajará-Mirim (RO) parou de ser vacinada contra a Covid-19 há seis dias. O problema começou quando o prédio do Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Ambiental (Nuvepa) ficou sem energia e mais de 5 mil doses de vacinas que estavam guardadas na rede de frios ficaram armazenadas fora da temperatura ideal.

Segundo o Governo de Rondônia, essas doses foram encaminhadas para análise do Ministério da Saúde para confirmar a segurança dos imunizantes. Nesta quinta-feira (27) a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) informou que ainda aguarda retorno oficial com posicionamento do Programa Nacional de Imunização (PNI) com as orientações quanto ao destino das doses.

A Agevisa também declarou que o município de Guajará já recebeu novas remessas de imunizantes contra a Covid-19, suficientes para continuar a vacinação da população.

Já a Prefeitura de Guajará-Mirim confirmou ao G1 que recebeu documentos técnicos, nesta semana, assinados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e Instituto Butantan atestando que após análise de garantia da qualidade, foi verificado que as vacinas se encontram dentro da estabilidade, não foram comprometidas a qualidade e eficácia, portanto os lotes podem ser liberados para uso.

Mas por que a vacinação continua suspensa?

Questionada, a prefeita de Guajará-Mirim, Raíssa Bento, informou que a vacinação segue suspensa porque o prédio do Nuvepa, local que armazenava as vacinas, estava inadequado. Após a queda de energia, servidores da Agevisa, acompanhados de técnicos da rede municipal de saúde, fizeram uma visita ao Nuvepa e constataram que o ambiente estava insalubre.

A conclusão da visita foi pela “necessária adequação das áreas físicas destinadas ao armazenamento do imunobiológico, com a principal finalidade de evitar nova ocorrência de evento que suspenda o fornecimento de energia elétrica”.

Segundo a prefeita, já foi solicitado que o local de armazenamento das vacinas seja substituído e essa mudança deve ser feita até a próxima semana.

Rede de frios do Nuvepa em Guajará-Mirim, RO — Foto: Reprodução/Rede Amazônica

A última vacinação em Guajará aconteceu no dia 21 de maio para pessoas de 50 a 54 anos com comorbidades, quando o município recebeu 1.210 doses de vacinas.

Leia mais sobre: ,

Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email