Rondônia

PRF detém caminhoneiro que dirigia sob efeito de cocaína

O aparelho detectou a presença de cocaína no organismo do infrator, que recebeu voz de prisão.

Por PRF

quinta-feira, 13/05/2021 - 12:04 • Atualizado 13:45
PRF detém caminhoneiro que dirigia sob efeito de cocaína

Na manhã de quarta-feira (12), uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizava patrulhamento na BR 364, no município de Presidente Médici quando quase foi atingida por uma carreta que realizava manobra proibida.

Ao tentar forçar uma ultrapassagem, o motorista do veículo de carga perdeu parcialmente o controle da direção, obrigando os automóveis que circulavam no sentido contrário, incluindo a viatura policial, a realizarem uma manobra brusca (fuga para o acostamento) para evitar a colisão.

Em consequência dos fatos acima foi realizada abordagem ao veículo e o motorista submetido ao teste do drogômetro. O aparelho detectou a presença de cocaína no organismo do infrator, que recebeu voz de prisão pelo crime de conduzir veículo com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de droga.

CONSUMO DE DROGAS POR MOTORISTAS PROFISSIONAIS

Infelizmente, uma pequena quantidade de motoristas profissionais têm o hábito de utilizar drogas ilícitas para realizar jornadas mais longas de trabalho, colocando em risco a própria saúde e também a segurança do trânsito. Nos últimos anos, a legislação foi aperfeiçoada para sancionar com vigor esses infratores, incluindo a obrigatoriedade de renovação do exame toxicológico a cada 30 meses.

A Polícia Rodoviária Federal em Ji-Paraná é pioneira na utilização do drogômetro, aparelho que detecta o uso de mais de 15 tipos diferentes de substâncias ilícitas. O aparelho ainda não foi regulamentado pelo CONTRAN, desta maneira, não pode ser utilizado para embasar autos de infração (multas), porém, como é uma ferramenta regulamentada sob parâmetros nacionais (InMetro), o resultado pode ser utilizado como prova válida nos registros de crime de trânsito.

Leia mais sobre: , ,

Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email