quinta-feira, 20 de junho de 2024
Search
Close this search box.
Publicidade

Coronavírus – TCE considera mais uma contratação milionária com dispensa de licitação ilegal em Rondônia, mas não a suspende

Porto Velho, RO – O Tribunal de Contas do Estado (TCE/RO), por meio de decisão encabeçada pelo conselheiro Valdivino Crispim de Souza, relator da demanda e presidente da Corte, considerou ilegal mais uma contratação direta, com dispensa de licitação, feita pela Secretaria de Saúde (Sesau/RO), órgão do Governo do Estado.

Publicidade

Entretanto, Crispim não determinou a suspensão do negócio entabulado. A despeito do valor milionário patrocinado acima da cotação, o dispêndio será mantido levando em contado Estado de Calamidade Pública já estipulado no estado.


Publicidade

O entendimento foi acompanhado à unanimidade pelos demais membros do órgão.


Na emenda, a justificativa sacramenta o seguinte:


“A Dispensa de Licitação – destinada à contratação direta, frente à emergência em saúde, com a decretação de estado de calamidade pública – deve ser considerada formalmente ilegal, sem pronúncia de nulidade, devido à falta de justificativa para a aquisições realizada em valor superior ao estimado”, deixou claro o TCE/RO.


Foi determinada a notificação do titular da Sesau/RO, o médico Fernando Máximo, e de Israel Evangelista da Silva, superintendente Estadual de Compras e Licitações, “para que visando ao aperfeiçoamento doutras aquisições e contratações de mesma natureza, na área de


sua respectiva competência, adote as medidas necessárias a assegurar que as justificativas dos preços praticados sejam apresentadas de maneira robusta e clara, discriminando os elementos que explicam a variação de preços dos produtos ou serviços, em especial quando se escolher, dentre eles, aqueles de valor mais elevado […]”.

Fonte: Rondônia Dinâmica

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais de

Não temos mais notícias para mostrar.