Rondônia

Porto Velho vai continuar na fase mais radical do distanciamento social ampliado

sexta-feira, 29/05/2020 - 12:03

O secretário de Estado da Saúde, Fernando Máximo, informou durante coletiva realizada na manhã desta quinta-feira (28), que Porto Velho ainda não está em condições de sair da primeira fase das medidas de distanciamento social ampliado, implementadas em Rondônia. O avanço dos casos de Coronavírus na cidade é um dos motivos.
As medidas foram construídas baseadas nas taxas de ocupação de leitos. Elas foram divididas em 4 fases: 1- distanciamento social ampliado; 2 – distanciamento social seletivo; 3- abertura comercial seletiva e 4- abertura comercial ampliada e prevenção continuada. Porto Velho e Guajará-Mirim, estão na primeira fase.

Nesta quinta-feira (28) estava programada a divulgação de uma avaliação dos primeiros 14 dias da implantação do distanciamento social. Havia a expectativa, por parte dos empresários, que a Capital subisse para a fase 2 com a abertura inclusive do shopping center
Ariquemes chegou a ficar na primeira fase, mas segundo o secretário o município cumpriu alguns pré-requisitos, como por exemplo, criação de leitos de UTI e voltou para a fase três.

De acordo com Fernando Máximo, Porto Velho, ainda está montando estrutura para o enfrentamento da Covid-19. “O número de casos confirmados de Covid-19 infelizmente vem aumentando muito rápido, a taxa de internação em UTI também é muito alta, por tanto, ainda não há possibilidade de mudar de fase. Mas a expectativa é que com a criação de novos leitos, conforme estão previstos para os próximos dias, se houver uma redução na taxa de ocupação de leitos de UTI, a Capital pode mudar de fase, assim como os demais municípios, desde que cumpram todos os pré-requisitos do decreto”, explicou.

Projeto Mapeia Rondônia

O projeto, que deve começar a ser colocado em prática no próximo sábado, tem como objetivo testar o máximo de pessoas possível.100 mil testes serão feitos. “Isso é para que o Estado tenha uma noção real do que está acontecendo, para que possamos adotar medidas necessárias. A expectativa é que essa testagem em massa aconteça em todos os munícipios simultaneamente. Essa ação é feita em parceria com os municípios”, esclareceu.

O secretário ressaltou que os exames serão destinados às pessoas que apresentam sintomas de síndrome gripal durante sete dias seguidos. “Nós já testemos muitas pessoas em todo o Estado, mas agora vamos mapear um número maior. Esse estudo epidemiológico é muito bom porque a gente consegue saber como está a situação em Rondônia”, disse.

Nesta quarta-feira, iniciaram as entregas dos testes para os municípios do Estado.
São Miguel do Guaporé

O secretário informou que uma equipe foi enviada para a ajudar no trabalho de combate à doença na região. “Estamos traçando uma estratégia grande para atuar em conjunto com o município”, explicou.

O mesmo trabalho que está sendo realizado em Guajará-Mirim com o aumento no número de testes de PCR e testes rápidos, reforço na barreira sanitária, reforço no acompanhamento dos pacientes internados e casos confirmados, também será feito em São Miguel do Guaporé. “Caso algum paciente precise de UTI, ele será encaminhado para o Hospital Regional de Cacoal”, enfatizou Fernando Máximo.

Sobre alguns casos de funcionários de um frigorífico da região, que foram contaminados com a doença, o secretário informou que está sendo feito um trabalho para que todos os trabalhadores da empresa possam fazer o teste de PCR no Lacen. “Nós estamos estudando a possibilidade de realizar o teste nesses funcionários, e em contrapartida a empresa terá que comprar insumos para o Estado. Ainda estamos verificando essa possibilidade”, finalizou Fernando Máximo.

Fonte: Rondoniagora
Leia mais sobre:

Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email